Agenda urbana: entre tecnocracia e participação

No final de maio, participei do debate “Agenda urbana: entre tecnocracia e participação”, junto com Sarah Feldman, do IAU-USP São Carlos, com mediação de Luiz Recaman, da FAUUSP, como parte do colóquio “Cidades: Experimentações Sociais e Criatividade Política”, promovido pelo Departamento de Filosofia da FFLCH-USP.

Confira no vídeo abaixo. No youtube também estão disponíveis os vídeos dos demais debates do evento.

 

Moradia, periferias e informalidade: velhas e novas tendências

Está disponível no site do IJURR – International Journal of Urban and Regional Research – o vídeo da conferência “Housing, peripheries, and informality: Old and new trends, “North” and “South””, realizada em outubro de 2014, na Cidade do México, durante o encontro anual do conselho da revista.

Entre os palestrantes estavam, além de mim, Priscilla Connolly (Universidad Autónoma Metropolitana-Azcapotzalco, Mexico); Pedro Abramo (Universidade Federal Rio de Janeiro); Emilio Pradilla Cobos (Universidad Autónoma Metropolitana-Xochimilco); e Maria Kaika (University of Manchester, IJURR Editor).

Clique aqui para ver o vídeo.

 

O imbróglio da moradia em Nova York

Compartilho com vocês o vídeo “NYC Home Shuffle”, produzido pelos estudantes da New York University Eric French e Claudia Prat, com quem pude conversar quando estive na cidade. O filme aborda os efeitos da intervenção do capital financeiro global sobre o mercado de moradias em NY e, particularmente, de um fundo de investimento chamado Blackstone, presente em diversas cidades do mundo.

O vídeo faz parte de uma série mais ampla, chamada “What is home?”, que pode ser vista neste link: http://whatishome.nyc/

NYC Home Shuffle from Studio 20 on Vimeo.

O novo velho Recife e a resistência cidadã

Veja abaixo o documentário “Recife, cidade roubada”, produzido pelo Movimento Ocupe Estelita sobre o projeto Novo Recife, que pretende implementar um megaempreendimento imobiliário na área do cais José Estelita, no centro da cidade.

*Leia mais aqui no blog sobre o Ocupe Estelita.

 

Recife, cidade roubada
Realização
Ernesto de Carvalho
Leon Sampaio
Luis Henrique Leal
Marcelo Pedroso
Pedro Severien

 

 

Entrevista à TV uruguaia sobre habitação

Esta semana, a convite da Federação Uruguaia de Cooperativas de Moradia (FUCVAM), participei do lançamento do livro “La vivienda entre el derecho y la mercancía”, e de um encontro com as candidaturas ao governo nacional do Uruguai, que terá eleições no final de outubro, sobre o tema da moradia, na Faculdade de Arquitetura da Universidade da República.

Abaixo, segue vídeo que concedi na ocasião à TNU (Televisión Canal Uruguay).

Ocupe Estelita: esperanças de retomada do diálogo

Hoje soube que, após o lamentável episódio da reintegração de posse do cais José Estelita, no Recife, no mês passado, ontem a prefeitura retomou o diálogo com o movimento Ocupe Estelita.

Após a reintegração, a prefeitura continuou com as negociações, mas sem convidar o movimento. Em protesto, os manifestantes ocuparam a sede da prefeitura pra reivindicar a participação nos debates. Sem dúvida a retomada do diálogo é um grande avanço.

Este encontro de ontem serviu basicamente para rever e acordar os procedimentos das negociações daqui pra frente. O resultado oficial foi divulgado na página da Prefeitura do Recife no Facebook.

Para saber mais sobre o que acontece no Recife, leia aqui no blog outros posts sobre o assunto:

*Uma outra cidade é possível?
*Recife pra quem?
*Grupos se mobilizam no Recife contra projeto imobiliário no cais José Estelita

Abaixo compartilho dois vídeos em apoio ao Ocupe Estelita, realizados por pernambucanos que moram em São Paulo. Confira.

Truculência impede exercício da advocacia

Compartilho a seguir o vídeo da prisão do Dito (Benedito Roberto Barbosa), advogado dos moradores que ontem sofreram a reintegração de posse do prédio que ocupavam na Rua Aurora, região central de São Paulo.

Dito é advogado do Centro Gaspar Garcia de Direitos Humanos e tem uma trajetória marcada pela seriedade, espírito de conciliação e defesa irrestrita dos mais vulneráveis. A truculência da polícia militar, como atesta o vídeo abaixo, impedindo o livre exercício da advocacia, é muito grave e intolerável num contexto democrático.

Certamente a OAB precisa se pronunciar sobre este caso, como faz em situações semelhantes em que advogados têm suas prerrogativas violadas no exercício de sua atividade profissional.

 

Vejam também a nota de repúdio divulgada pelo Centro Gaspar Garcia de Direitos Humanos, União dos Movimentos de Moradia, Frente de Luta por Moradia e Central de Movimentos Populares.

NOTA PÚBLICA

As entidades CENTRO GASPAR GARCIA DE DIREITOS HUMANOS, UNIÃO DOS MOVIMENTOS DE MORADIA, FRENTE DE LUTA POR MORADIA e CENTRAL DE MOVIMENTO POPULARES, através da presente nota, vêm a público manifestar desagravo e total indignação à violência e abuso de poder policial cometido contra o Advogado Benedito Roberto Barbosa durante ação de reintegração de posse ocorrida em São Paulo em prédio ocupado pelo movimento MSTRU vinculado à Frente de Luta Por Moradia.

O exercício da profissão do advogado Benedito Roberto Barbosa foi brutalmente violado quando este tentava manter contato com as famílias que se encontravam no interior do
imóvel reintegrado localizado na Rua Aurora, 713.

Sabendo ser sua prerrogativa adentrar no edifício para conversar com os moradores que se encontravam incomunicáveis pelo cerco da polícia, o advogado tentou ultrapassar o bloqueio do choque quando foi brutalmente agredido e imobilizado por agentes da tropa de choque da Polícia Militar sendo depois detido e encaminhado ao 3º Distrito Policial onde foi lavrado Boletim de Ocorrência tipificado como crime de “resistência”.

Discordamos plenamente da tipificação de crime de resistência. O Advogado Benedito Roberto Barbosa encontrava-se no exercício de seu mandato – protegido pelo Estatuto da Advocacia-, e gozando de suas prerrogativas profissionais quando foi agredido e imobilizado. Portanto:

Exigimos apuração dos abusos cometidos pelos agentes da tropa de choque contra o advogado Benedito Roberto Barbosa, e em fase de inquérito, a plena desconstituição de crime
de resistência.

Exigimos a imediata apuração de abusos cometidos nesta operação policial, seja em face do advogado , seja também em face de moradores, moradoras e crianças também agredidos e
hostilizados no direito de luta por moradia digna.

Exigimos a imediata mudança no procedimento adotado pela Justiça Paulista e Polícia Militar nas ações de reintegração de posse e de despejos coletivos realizados na Capital.

Exigimos, finalmente, que a luta pelo direito à moradia digna seja plenamente respeitada e não hostilizada pelo Poder Público.

RESPEITO E APURAÇÃO DA VIOLAÇÃO DE DIREITO E AGRESSÃO COMETIDA CONTRA O ADVOGADO BENEDITO ROBERTO BARBOSA
RESPEITO AOS MORADORES E MORADORAS DE OCUPAÇÕES NA CIDADE DE SÃO PAULO
RESPEITO À LUTA PELO DIREITO À MORADIA DIGNA