Livro traz resultados de pesquisa sobre o Minha Casa Minha Vida

capa livro rede cidade e moradia

Livro reúne resultados de pesquisa nacional sobre o Programa Minha Casa Minha Vida

A Rede Cidade e Moradia, em parceria com o Observatório das Metrópoles, lançou recentemente o livro Minha Casa… E a cidade? Avaliação do Programa Minha Casa Minha Vida em seis estados brasileiros.

Organizada por Caio Santo Amore, Lúcia Zanin Shimbo e Maria Beatriz Cruz Rufino, a publicação faz um balanço dos cinco anos do maior programa de habitação do país, analisando as fases de implementação, a qualidade construtiva e arquitetônica, os impactos urbanísticos e sociais dos empreendimentos e os efeitos sobre a vida das famílias e dos indivíduos atendidos.

Os artigos que compõem o livro são fruto de estudo sobre o programa MCMV realizado pela Rede Cidade e Moradia, que reuniu 11 núcleos de pesquisa de várias instituições do país, contempladas em seleção de edital público do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e do Ministério das Cidades.

A equipe do LabCidade FAUUSP participa da publicação com o artigo “Inserção urbana no PMCMV e a efetivação do direito à moradia adequada: uma avaliação de sete empreendimentos no Estado de São Paulo”.

O livro está disponível em pdf no site do Observatório das Metrópoles. Clique aqui para acessar.

 

4 comentários sobre “Livro traz resultados de pesquisa sobre o Minha Casa Minha Vida

  1. Cara Raquel Rolnik e leitores do blog Este Programa Minha Casa Minha Vida, já nasceu fadado ao fracasso, pois o Grande Problema de Déficit Habitacional do Brasil, não se resolve e nem se resolverá com uma simples “canetada” assinando um Projeto ou um Programa. Temos barreiras, nesta questão, das mais variadas formas. O projeto em si é bom , pois sabemos que a Construção Civil gera inúmeros empregos direta e indiretamente, mas o mesmo foi executado com autoritarismo de Ditadura Petista, onde só o Governo manda e desmanda e todos são obrigados a aceitar. Não foram consultados os mais diversos setores envolvidos da Sociedade, tais como Engenheiros, Arquitetos, estes representados pelo CREA, o SECOVI, o CRECI, o SINDUSCON, FEBRABAN, etc. Do pouco que foi construído não houve o devido acompanhamento fiscalizatório, pois todos os dias, recebemos pela Midia, que as unidades construídas do Programa MCMV, apresentam problemas estruturais e de qualidade , tanto na execução como de materiais utilizados. Apresentando defeitos antes mesmo de serem habitadas, o abandono é tão evidente, pois diversos conjuntos habitacionais, foram invadidos, antes do “Habite-se” Muito antes destes problemas, o Governo quando criou o Programa, esqueceu-se de que sejam casas ou Edifícios de Apartamentos, precisam estar em cima de um Terreno, e este em cada região tem o valor, isto sem contar a parte de documentação e Zoneamento do mesmo, ultrapassado esta primeira etapa, vem o Projeto, que é outra etapa difícil e lenta para aprovação pelas Prefeituras. Em São Paulo -Capital, este prazo vai de 12 a 15 meses, e só neste período o Déficit Habitacional já cresceu. Para acelerar este Programa, o Governo deve primeiro desapropriar áreas sem utilização, e entregar através de Processo Licitatório as Construtoras, para que estas se encarreguem do restante, e que as Prefeituras se comprometam a aprovar os Projetos de MCMV em 90 dias. Há, também, de se pesquisar em outros países, tipos de construções mais rápidas e econômicas. Nos Estados Unidos , por exemplo, o proprietário fornece o terreno devidamente preparado, com a base para receber a casa, e o fornecedor desta monta a casa em 24 horas. Tanto casas populares como casas maiores e de melhor padrão. No Brasil não se consegue fazer esta mesma em uma semana ou um mês. Acho que devemos repensar todas as possibilidades, para ter maior eficiência e com melhor custo beneficio. Grato mais uma vez pela oportunidade Att. Antonio da Ponte Ambientalista e Corretor de Imoveis

    • Antônio, boa tarde.
      Percebeu que quase todos os entraves passam pelo governo? Regularizações, documentos, zoneamentos, impostos, taxas etc.
      O grande mal da construção civil, e do brasil como um todo é esse: burocracia excessiva.

  2. Prof. Raquel, bom dia!
    Por favor, saberia dizer quais serão os próximos passos dados pelo governo com base nas conclusões da pesquisa? Existe algum tipo de resposta formal (p.ex. plano de ação baseado nas criticas feitas pelos pesquisadores) por parte do Ministério das Cidades (entendo que este seria o orgão responsável pela análise da pesquisa, correto?)? Na sua opinião, existe alguma chance de melhoria concreta no programa com base nas conclusões da pesquisa?
    Obrigado por compartilhar o documento e parabéns pelo trabalho!
    Abraço,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s