Enfim, livre-docente. Muito obrigada!

banca

Com a banca de avaliação: Carlos Vainer (IPPUR-UFRJ), Vera Telles (FFLCH-USP), Cristina Leme (FAU-USP), Cibele Rizek (IAU-USP São Carlos) e Flávio Villaça (FAU-USP)

Ontem defendi minha tese de livre-docência, na FAU-USP. Gostaria de agradecer a todos que estiveram comigo nessa caminhada, aos que me ajudaram, à banca de avaliação, aos que estiveram presentes ao longo dos cinco dias do concurso. Muito obrigada!

Após a defesa,  recebi da minha filha Iara um lindo presente, este texto que compartilho com vocês a seguir.

———

E agora ela virou livre-docente. Saiu da banca com 10, 10, 10 e 10. Fez daquele momento um momento epistêmico: mostrou o que pode uma intelectual periférica numa posição global. Ela faz isso: inverte as coisas, reposiciona, politiza, polemiza, fortalece e arrasa. Coloca aquele óculos colorido, o batom vermelho, morde a caneta e fala pro mundo com uma força que é só dela. O que o mundo escuta, eu tive o privilégio supremo de ouvir desde dentro da barriga:

que quase tudo na vida é uma questão de território

que arroz integral e água de cachoeira fortalecem a alma

que para todos os problemas existenciais existe uma planilha que bota tudo no lugar

que pra quase tudo a gente precisa mesmo é de concentração – e que não existem muitas coisas que a gente não consegue (uia)

que salada se serve com a mão

que quando o fivel não acha a mãe dele pela terceira vez a gente sai do cinema

que amor é uma coisa que se expressa lavando a louça e comprando pão

tarti di frutti di bosco

que as melhores coisas da vida não são coisas (eu li essa frase em algum lugar, mas poderia ter saído certinho da boca dela)

que dançar enya e falar espanhol zuando é saber viver a vida

que ser mãe é ter a consistência de estar presente e firme mesmo quando três oceanos, uma guerra, uma tese de doutorado ou mesmo uma cidade inteira para reconstruir separam a gente

obrigada por ser  tudo isso e muito mais. você é foda.

Iara Rolnik Xavier.

20 comentários sobre “Enfim, livre-docente. Muito obrigada!

    • Que estranho! Meu comentário não foi publicado?
      Queria entender porque…os comentário que vieram depois do meu ja estão no blog.
      Fiquei bem chateada, porque acompanho o blog da Raquel e o trabalho dela desde a faculdade.

  1. Iara, que blz essa sua declaração. Penso que a Raquel carrega a maior parte da verve dela justamente por essa sua escuta “desde dentro da barriga”.

  2. Raquel, primeiramente gostaria de dizer que me emocionei com o texto da sua filha e que, com certeza, você é uma mãe de verdade, pois só mães reais “produzem” esse tipo de relação de amor, educação e gratidão com os filhos.
    Em segundo lugar deixo os parabéns pela conquista da livre docência. Acabei de me formar Arquiteta e Urbanista pelo IAU-USP e tive o prazer de conhecer alguns de seus trabalhos e desde então acompanho o blog. Admiro. Assim como admiro a Cibele, de quem tive o prazer de ser aluna no IAU.
    Felicidades!

  3. Parabéns professora, estou em uma caminhada bem menor, mas grande para mim e você é uma inspiração. Siga em frente, muito ainda conquistarás!

  4. Raquel, congratulações, ainda que tardias. você já tem todos os atributos e qualificações para isto há muito tempo. desculpe, não pude estar presente ao encerramento da banca para cumprimenta-la pessoalmente. beijo.

  5. Parabéns!!! Gostaria de saber se a Tese de Livre Docência é possível ter acesso na internet. Eu sou formado em Geografia pela USP e me interesso pelo tema abordado pela professora.

  6. Que texto lindo!!!!

    Meus muitos parabéns!!!
    Parabéns pela conquista;
    Parabéns pela filha;
    Parabéns pelo blog;
    Parabéns pelos maravilhosos textos;
    Parabéns por tentar tão fortemente mostrar aos outros caminhos que devem ser refletidos;
    Parabéns e obrigada por nunca desistir da nossa cidade.

    Feliz Dia das Mães!!!

  7. Receba mais um 10 de um admirador virtual. Outro 10 para a filha e, por extensão, mais um 10 pra mãe dessa filha.
    Parabéns, e que venha o livro com a tese.

  8. Meus parabéns! Muito orgulhosa de você, muito feliz pela sua conquista.
    Parabéns por nunca desistir da cidade, das pessoas, do urbanismo! Você grandemente nos estimula a acreditar, nos direciona o olhar na sua maneira de questionar, revirar, olhar o avesso, desmontar a colocar tudo em um novo lugar onde realmente as mudanças podem ser possíveis.
    Parabéns por ser tão doce e firme! Parabéns pela filha, que não teria como ser diferente…
    Aguardo ansiosamente o livro com a tese…rsrsrs
    Bjim no coração!

    Lydia Aguiar

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s