Ciclovia da Eliseu de Almeida finalmente saiu do papel

Em novembro do ano passado, finalmente começou a sair do papel o projeto da ciclovia da Avenida Eliseu de Almeida, na Zona Oeste de São Paulo, prometida inicialmente para 2006 e reivindicada por moradores, trabalhadores e frequentadores da região há dez anos. Para se ter uma ideia, o primeiro projeto da ciclovia é de 2004…

Esta é uma região já muito utilizada por ciclistas. De acordo com o projeto da ciclovia, no horário de pico da noite, das 17h às 19h, o número de ciclistas por hora passou de 138, em 2010, para 170, em 2012, e certamente vem aumentando. Aliás, foi exatamente nesta região que, lamentavelmente, mais um ciclista foi morto no trânsito, no dia 7 de janeiro.

É óbvio, portanto, que esta ciclovia é mais do que necessária. O primeiro trecho deverá ficar pronto no final deste mês e ligará a estação Butantã do metrô ao Shopping Butantã, na Avenida Salvador Szeibl. Os demais trechos chegarão até a divisa com Taboão da Serra e deverão ser executados ainda este ano.

Pra que esta ciclovia saísse do papel, porém, foram necessários muitos anos de pressão de moradores e frequentadores da região. Mas não somente. Com um novo projeto pronto, a Subprefeitura do Butantã ainda precisou conseguir verbas para execução da obra.

O projeto foi apresentado em setembro de 2013 e a expectativa era de que fosse financiado pela CET, que havia disponibilizado 2 milhões de reais. Mas a companhia decidiu destinar os recursos a outro projeto de ciclovia. A Subprefeitura do Butantã então decidiu iniciar as obras com recursos provenientes de emendas de vereadores.

Sem dúvida, o fato de termos mais uma ciclovia permanente em São Paulo é muito positivo. Mas, é preciso dizer, este projeto é insuficiente… por que não conectar esta ciclovia também com a USP, as estações de trem da CPTM e a ciclovia da marginal Pinheiros? Como aproveitá-la para promover a requalificação urbano-paisagística de seu entorno?

Para irmos mais além: como enfrentar a complexa questão do transporte cicloviário de forma sistêmica e integrada com todo o sistema de mobilidade da cidade, articulando os diversos modais? Este é o desafio que está colocado.

3 comentários sobre “Ciclovia da Eliseu de Almeida finalmente saiu do papel

  1. CICLOVIA ELISEU

    O político não fez,
    Só prometeu, não foi seu parente que morreu
    Então não atende, não compreende e não sente…
    Que…
    Para nós bike é vida, ciclovia direito,
    bike é querida e cadê nosso caminho perfeito?!
    Sim é um lamento, é sofrimento
    O ônibus e caminhão te dando aquele aperto!
    O pão de casa, o divertimento
    Queremos liberdade
    Viver de verdade
    Fugir deste sistema de maldade.

    Este projeto já está mais do que pago,
    Na urna ano que vem lhe darei meu agrado,
    Por ser tratado como bicho, como gado
    Não sou obrigado!
    Não sou coitado…
    Cidadão luta e consegue,
    E mesmo que o diabo te carregue,
    A Ciclovia da Eliseu de Almeida será entregue
    Antes que mais algum político safado dinheiro leve!

    Para terminar lembro da infância
    Onde não havia lugar para ganância
    E publico meu desejo, minha ânsia
    Quero a ciclovia…
    Para pedalar com minhas crianças!

    De fato agora o grande desafio é interligar esta ciclovia com municípios como Taboão da Serra, Cotia, Embu das Artes e Itapecerica, no Brasil ainda estamos na contra-mão da história, o sistema continua priorizando a indústria automobilística. Dia 31/01/14 haverá mobilização e homenagem aos ciclistas mortos em SP, só na região do Campo Limpo foram 5 no segundo semestre de 2013..

  2. Entendo o que o Fábio diz, e realmente a forma em que as coisas foram se consolidando, chegamos um ponto desastroso. Não quero te desanimar não Fábio, mas essa nós perdemos, porque achávamos que eramos espertos e nos tornamos uns verdadeiros estúpidos e burros. O mundo evoluiu e cá estamos nós com as ruas lotadas de veículos e o transporte público desastroso.

    Concessionaria VW
    Abraços

  3. Vamos forçar um pouquinho o otimismo e considerar que é uma boa notícia… Só que, mais uma vez, planejou-se e implanta-se um tapa-buraco na cidade. Mais uma coisa isolada, como se São Paulo fosse diversos ambientes isolados um do outro. Acabo de ler a respeito de um grande projeto para se construir um sistema de vias verdes em Hamburgo, na Alemanha. Um único projeto para integrar todos os distritos da área metropolitana, garantindo o transporte por veículos públicos e por bicicletas e até o deslocamento de animais selvagens de uma área a outra sem precisarem atravessar ruas e avenidas. De quebra, esse projeto visa prevenir prejuízos causados por mudanças climáticas. O que precisamos em São Paulo, antes de tudo, é a superação da mentalidade provinciana que confunde felicidade e prosperidade com posse de carros particulares, disputa e isolamento entre indivíduos. Trabalho de formiguinha…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s