Leitores apresentam experiências de acondicionamento e coleta de lixo

Quando abordei a questão do acondicionamento, coleta e destinação do lixo aqui no blog na semana passada, recebi via twitter a informação de que na cidade de Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul, desde 2007 há um sistema de conteinerização e coleta mecanizada de lixo orgânico.

Segundo informações da Companhia de Desenvolvimento de Caxias do Sul (Codeca), o sistema começou com a disponibilização, nas ruas centrais da cidade, de 500 contêineres verdes para lixo orgânico e 500 amarelos para lixo reciclável.

Em 2010, a cidade já contava com 2,8 mil contêineres (1400 para lixo orgânico e 1400 para resíduos seletivos). Clique aqui para saber mais sobre o sistema implementado em Caxias do Sul.

Sobre o acondicionamento do lixo doméstico – debate que precisa ser aprofundado – a Simone Dias deixou aqui no blog algumas dicas interessantes para economizar no uso de sacolas plásticas. Veja abaixo:

No banheiro: tenha 2 latinhas de lixo, uma para recicláveis (embalagens, miolo do rolo de papel, etc.) e outra para o papel higiênico e demais itens sujos. Somente esta recebe um saquinho plástico, e como o papel é macio, pode ser compactado e o saquinho leva um tempão para encher.

Na cozinha: tenha também duas latas de lixo para separar o orgânico do reciclável. Novamente só a lata de orgânico recebe saco plástico, pois a de recicláveis recebe dejetos limpos, embalagens enxaguadas, etc. O mais importante: a lata de lixo deve ser grande e ter uma tampa boa, assim não sai cheiro ruim e não precisa trocar o saco o tempo todo.

Na lavanderia: aí ficam duas lixeiras grandes (60l), com capacidade para o lixo da semana, separados, claro. Fica bem arrumadinho se você compactar o lixo reciclável amassando latas e desmontando caixas.

Como eu já disse aqui antes, o debate sobre acondicionamento, coleta e destinação do lixo precisa ser feito de forma integrada. Senão, as dicas da Simone e o sistema implementado em Caxias do Sul continuarão sendo experiências isoladas.

3 comentários sobre “Leitores apresentam experiências de acondicionamento e coleta de lixo

  1. Bom dia Raquel,
    Entrei em contato com o seu blog pelo facebook e achei ótimo e muito interessante! Estudei administração Pública na graduação e tenho grande interesse dos temas aqui expostos.
    A respeito da coleta de lixo, a contentorização de Caxias do Sul é com certeza um avanço frente a situação brasileira. No entanto ainda apresenta muitos problemas. Na europa a coleta é contentorizada e está mudando rapidamente para sistemas mais eficientes de contentores soterrados.
    O principal problema, pois envolve a vida humana, é que nos conteiners de Caxias acontece de moradores de rua entrarem para dormir e o caminhão recolher o lixo matando o individuo com a caixa coletora. Em caxias mesmo isso já ocorreu mais de uma vez. http://www.clicrbs.com.br/pioneiro/rs/impressa/11,2648097,158,13092,impressa.html
    Outro problema é que as pessoas cadeirantes ou com outras deficiência não conseguem operar o sistema o que o torna excludente. Por fim há o aspecto estético de uma grande intervenção e do vandalismo.
    Já há sistemas muito melhores disponíveis como o da Sotkon: http://www.sotkon.com/ que disponibiliza um sistema de contentorização soterrado muito eficiente.

    Bom, fica meus parabéns pelo blog!
    Marina Helou

  2. Reutilizamos o saco plástico de ração animal, depositamos todo tipo de lixo comum não reciclável como: papel toalha, papel higiênico, fios de cabelo, pelos de cachorro, preservativos, bitucas de cigarro, lixo de varrição do quintal e da calçada, e tudo o que não pode ser reciclado e deixamos exposto ao sol durante 10 horas 2 vezes por semana para eliminar humidade e mal cheiro, após esta ação, fazemos a compactação pisando em cima do mesmo até reduzir o volume, após esta ação entregamos o saco de lixo compactado ao caminhão da Prefeitura e pedimos o saco de volta, depois o mesmo é lavado com água, sabão e cândica. Desta forma, não necessitamos de sacolas plásticas para o descarte de lixo já que utilizamos este tipo de saco para descarte de lixo comum não reciclável e economizamos 60 sacolas plásticas de supermercado por mês, pois fazemos nossas compras e trazemos em caixas de papelão que depois são encaminhadas para a Cooperativa Vitória da Penha – fone: 2541-9298 – contato Sr. Massao.

  3. Neste saco reforçado, depositamos todo tipo de lixo comum não reciclável como: papel toalha, papel higiênico, fios de cabelo, pelos de cachorro, preservativos, bitucas de cigarro, lixo de varrição do quintal e da calçada, e tudo o que não pode ser reciclado e deixamos exposto ao sol durante 10 horas 2 vezes por semana para eliminar humidade e mal cheiro, após esta ação, fazemos a compactação com um cano de papelão utilizados em máquinas ploter. Este tipo de saco de lixo pode durar até 3 meses sem a necessidade de troca, depois amarramos a boca com barbante e enviamos para a Cooperativa Vitória da Penha que reaproveita a embalagem e deposita o lixo comum não reciclável nos containers de lixo, onde o material será encaminhado para o aterro sanitário. Desta forma, não necessitamos de sacolas plásticas para o descarte de lixo já que utilizamos este tipo de saco para descarte de lixo comum não reciclável e economizamos 60 sacolas plásticas de supermercado por mês, pois fazemos nossas compras e trazemos em caixas de papelão que depois são encaminhadas para a Cooperativa Vitória da Penha – fone: 2541-9298 – contato Sr. Massao, que faz a reciclagem destas caixas.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s