Intervenção artística chama atenção para remoções no Morro da Providência, no Rio de Janeiro

Sábado passado pude conferir, no morro da Providência, no Rio de Janeiro, uma interessantíssima intervenção artística idealizada pelo fotógrafo francês J.R, que vem desenvolvendo trabalhos semelhantes no mundo inteiro a partir do projeto “Inside Out”.

A ideia do projeto é, através do  compartilhamento de retratos, chamar a atenção para problemas enfrentados por comunidades em todo o mundo. As fotos são compartilhadas através de um site, depois são impressas em formato gigante e devolvidas para que sejam expostas nas comunidades.

Mais de 100 moradores do Morro da Providência participaram da intervenção do último sábado. Eles buscam chamar a atenção da sociedade para as remoções que estão ocorrendo por conta do projeto de renovação da área portuária do Rio de Janeiro. As fotos foram feitas pelo fotógrafo Maurício Hora, morador da comunidade.

Apesar de a urbanização do morro estar sendo anunciada como parte do programa “Morar Carioca”, o projeto, assim como sua forma de implementação, parece não ter nada a ver com este programa, cuja metodologia pressupõe  a participação dos moradores e a exigência de considerar, em seu ponto de partida, o patrimônio material e imaterial presente nas comunidades.

Clique aqui para saber mais sobre o “Inside Out Project”.

Veja abaixo algumas fotos* da intervenção:

* As fotos são de Luiz Baltar e foram originalmente publicadas no site Viva Favela.

6 comentários sobre “Intervenção artística chama atenção para remoções no Morro da Providência, no Rio de Janeiro

  1. Muito bem humorada essa intervenção, acho que a arte só abre portas mesmo, espero que estes moradores consigam o seu objetivo.
    Mas agora quero relatar outra história engraçada. Há alguns anos, quando trabalhava em uma livraria, comprei um livrinho de cor bonita em que a autora estava explicando a cidade de São Paulo. Apaixonado por essa cidade, que nem sempre inspira apenas amores, fui mergulhando nas histórias do rios, andando pela urbanização, voando juntos com a fumaça das chaminés, adorei, me senti feliz por conhecer mais a cidade. Bem, você já deve ter notado que foi assim que te conheci,que sua visão, crítica, da cidade, chegou as minhas mãos. Bueno, um dia, agora na 29 Bienal de Artes, eu como educador fui assistir a palestra de não sei o que Rolnik. Me excitei, meu coração explodiu, pensei, nossa é ela, e nossa ela vai falar sobre urbanismo, cidade, numa bienal de artes, que interessantíssimo, que relações será que ela trará. Ai achei estranho quando você entrou…. “hum, ela é loira mas não parece ela”. Bom ai eu descobri que os pais de vocês agraciaram muito nossa cidade, sua irmão Sueli tambem ganhou meu coração. No final, já em entusiasmado com a fala, cheguei bem perto dela e disse: “Suely, quem é Raquel Rolnik?….”minha irmão”. Eu não sei se ela te contou essa história la do porão das artes, mas quis relatá-la aqui para dizer como as duas me ajudam muito com suas idéias, uma me ensina a potência política da arte, a outra, como bem mostra esse post, como essa pode ser usada para a construção da cidade. Agradeço aos seus pais. Amo adoro ler-te. Um abraço,
    Marcel

  2. Oi Raquel,

    Muito bacana a materia! Só vale acrescentar que as fotos originais são do fotógrafo Mauricio Hora, nascido e criado na Providência.

    Damian

  3. Oi Raquel,
    Parabéns pelo blog e pelo artigo, mas tenho uma correção a fazer. As fotos originais dos moradores coladas na Providência durante a atividade são do Maurício Hora e as fotos publicadas no Viva Favela e reproduzidas aqui são minhas, Luiz Baltar, estou colocando outras fotos no meu Flickr http://www.flickr.com/photos/luizbaltar/ fique a vontade para usar o meu material sempre que quiser, basta apenas me dar o crédito.

    Abraços
    Baltar

  4. Olá, Damian e Luiz!
    Obrigada pela informação sobre a autoria das fotos da intervenção. Já incluí no texto.
    Abraços,
    Raquel.

  5. bom eu acho que essas intervençoes , sao muitos legais , gostei de varias obras de artes. tomara que este povo do morro consiga as suas objitividades de realizar seus sonhos …….

  6. Oi Raquel.

    Gostaria de saber sua opinião sobre a demolição da fábrica da Brahma na Cidade Nova, que era tombada mas foi destombada (nem sabia que isso existia…) para ser colocada abaixo para a expansão do Sambódromo: http://bit.ly/jPeFUG

    Parabéns pelo blog!

    um abraço,
    Renato

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s