Movimento dos Trabalhadores Sem Teto inicia campanha nacional contra despejos relacionados à Copa, Olimpíadas e PAC

O Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) iniciou hoje uma campanha nacional contra despejos e remoções relacionados a obras da Copa de 2014, das Olimpíadas de 2016 e do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

Segundo os organizadores, foram paralisadas em São Paulo as rodovias Régis Bittencourt, Raposo Tavares, Anhanguera, Dom Pedro I, Dutra e Rodoanel Oeste , como forma de chamar a atenção da sociedade para o problema.

Leiam abaixo trecho do manifesto do MTST:

MANIFESTO DA CAMPANHA NACIONAL CONTRA OS DESPEJOS: MINHA CASA, MINHA LUTA!

A RESISTÊNCIA URBANA – Frente Nacional de Movimentos faz um alerta aos trabalhadores brasileiros sobre o avanço de uma política de despejos e de uma ofensiva do capital imobiliário nas metrópoles do país. O cenário que está sendo montado é de uma verdadeira operação de guerra contra os moradores de favelas, comunidades periféricas e os trabalhadores informais, em nome do “crescimento econômico” e da preparação do país para a Copa-2014 e Olimpíadas-2016. Os governos federal, estaduais e municipais prepararam seus planejamentos – em muitos casos, já em execução – para obras de grande impacto, que representam uma Contra-Reforma Urbana no Brasil, pela forma autoritária e excludente com que estes programas afetarão os trabalhadores urbanos (principalmente através de despejos e remoções em massa) e pela lógica de cidade que trazem consigo. Por isso, e contra isso, lançamos uma Campanha Nacional contra os Despejos.

Para ler o texto completo, clique aqui.

3 comentários sobre “Movimento dos Trabalhadores Sem Teto inicia campanha nacional contra despejos relacionados à Copa, Olimpíadas e PAC

  1. Aqui em Porto Alegre/RS estamos fomentando a organização das comunidades que serão atingidas pelas obras públicas e privadas em função da Copa, necessitamos urgente de uma articulação nacional que faça circular a informações de forma mais rápida e completa. Acabamos de evitar a venda do Morro Santa Teresa, área pública e que abriga mais de 15000 pessoas, a resistência do povo do Morro anima os que serão atingidos pelo alargamento da avenida tronco. Denunciamos que Porto Alegre, a cidade internacionalmente conhecida como capital dos laboratórios de participação popular, está sendo loteada a esmo, sem a mínima possibilidade de debate com a população, sobretudo os mais pobres, que ainda estão sendo empurrados (novamente) mais para as margens da cidade.
    Denunciamos também que muitas áreas públicas estão sendo entregues a preço de banana para a iniciativa privada, seja para construção de estádios, seja para mega projetos comerciais e residenciais.
    Precisamos de um canal de ligação com as demais capitais, este sítio tem se destacado na crítica aos critérios utilizados para definir a nova ordem urbanística que será definida pela passagem da Copa do mundo.
    Denunciamos ainda, que todas as instituições públicas, na sua maioria estrutural, seja o MP, a Assembléia Legislativa, a Câmara de Vereadores os Executivos dançam uma mesma música, a da Copa Maravilha, e por ela tudo fazem.
    Aqui já decidimos, o caminho é a mobilização de rua e com os atingidos, vamos tentar ao menos diminuir os efeitos, essa é nossa fé, no povo.
    Esperamos poder manter contato.
    Edson Borba
    Coordenação Movimento O Morro é Nosso/Porto Alegre
    51 99729784

  2. Como foi dito, aqui a área da FASE esta em questionamento, mas ainda dificil.
    Por outro lado muitas outras áreas estão sendo ocupadas em nome da COPA 2014.
    A área do Humaitá que foi doada á FCORS – Federação dos Circulos Operários do RS foi destinada á ARENA Gremista. Uma área de 32 hectares dos quais apenas 8 é para o Grêrmio os restantes 24 hectares ficarão de posse da própria Construtora OAS que tirará proveito com 17 prédios de 70 m cada.
    Para isto duas escolas que valen juntas 15 milhões, uma Estadual e outra particular terão as portas fechadas. Ou seja escolas de grande porte serão fechadas em prol de um time de futebol e de uma constreutora, que será a mais beneficiada.
    Esta área vale hoje 300 milhões.
    As escolas atendem famílias de baixa renda que foram parfa a área já expurgadas de outras que valorizaram.
    Doar area pública para especuladores de uns dois anos para cá se tornou rotina na Estado do RS e na Prefeitura de POA.
    A Governadora Yeda fechou em 3 anos de governo mais de 350 escolas no RS, quando no período de 1945 a 2010 foram extintas menos de 1600 escolas.

  3. A casa na rua Casemiro de Abreu 1233, entre IPA e Lucas de Oliveira, bairro Bela Vista, Porto Alegre, está desocupada há meses. É grande, pode abrigar muitas pessoas. Talvez proprietário, Eduardo Alvarez, conhecido como Dudu, concorde em ceder a casa para moradia de pessoas sem teto, até a demolição da casa, que será feita dentro de pouco tempo. Pessoas do posto de gasolina na frente da casa talvez saibam informar telefone de Eduardo.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s