Alteração de Lei de Zoneamento entra na jogada para viabilizar investimento público na Arena da Baixada

Depois de a cidade de Curitiba quase ser excluída da Copa, quando se cogitava a reforma da Vila Capanema para as partidas em 2014, encontrou-se uma saída que resolve a falta de verbas do Atlético Paranaense para as obras de reforma da Arena da Baixada de acordo com as exigências da FIFA.

O clube assinou hoje um termo de cooperação com o governo do estado e a prefeitura municipal, através do qual receberá da prefeitura títulos de potencial construtivo que servirão para arrecadar parte da quantia necessária à reforma do estádio.

A estratégia é alterar a Lei de Uso e Ocupação do Solo de Curitiba para elevar o potencial construtivo dos terrenos da Água Verde (bairro de alto valor imobiliário), onde está a Arena da Baixada.

A estimativa é de que o clube arrecade com isso R$90 milhões. A mudança do zoneamento de Curitiba tem que ser votada na Câmara dos Vereadores do município e é o primeiro passo para que o Atlético possa vender os títulos do potencial de seu terreno.

Várias questões envolvem esta transação: em primeiro lugar, a legislação de Curitiba só permite que se transfira potencial construtivo não utilizado quando se trata de área de interesse ambiental ou de patrimônio histórico, o que não é o caso de um estádio. Segundo, quem vai comprar o potencial construtivo? A própria prefeitura? Se for verdade, será que a câmara municipal de Curitiba vai permitir isso?

Em resumo: o Atlético é um clube privado e toda essa engenharia é para que se permita investir recursos públicos em propriedades privadas, o que é proibido de acordo com a legislação brasileira.

37 comentários sobre “Alteração de Lei de Zoneamento entra na jogada para viabilizar investimento público na Arena da Baixada

  1. Muito bom o texto Raquel…

    Aqui em Curitiba tudo nos é imposto e automaticamente transformado em algo natural. Assim o Curitibano acha natural que existam mais imóveis vazios do que familias sem teto, acha natural que as ocupações irregulares se espalhem por toda a periferia e toda a região metropolitana e acha natural que a cidade seja eternamente um MODELO de exclusão.

    Assim, também, todos acham natural que o Estado invista numa arena PARTICULAR.

    Dessa forma, as coisas acontecem aqui em Curitiba de maneira totalmente contrária com o que deveria acontecer e a sociedade permanece calada.

    Obrigado pelo texto Raquel. Está mais do que na hora da sociedade perceber que as decisões parlamentares quase nunca representam a real vontade do povo, ainda que esses continuem sendo eleitos por nós.

  2. Sobre Copa do mundo daria pra ter um Blog a parte, com esse assunto exclusivamente, onde vamos ver várias intervenções injustificáveis, como essa.

  3. Pela primeira vez vejo alguém de fora do Paraná questionar esta barabárie que estão fazendo com o dinheiro público no Paraná… Aqui se esconde tudo da mídia, da imprensa e dos cidadãos… Este mesmo estádio teve na década de 90 100% de injeção de dinheiro desviado da transação de venda do banco estatal Banestado para o Itaú… Novamente estão criando uma “mágica” financeira de forma descarada para injetar mais uma vez recursos público no mesmo! Só que desta vez a sociedade está mais informada e se organizando para controlar e impedir essa façanha… Meus parabéns Raquel por ter detectado e publicado isto para além de nossas fronteiras! Muito material e informações sobre este caso podem ser encontrados no site http://www.coxanautas.com.br/blogs/drx/ que vem desde o ano passado divulgando a fundo a maracutaia e também várias matéria no site do jornal Gazeta do Povo da rede Paranaense de Televisão…

    • Olá, Carneiro
      Muito obrigada pelo comentário e pela dica do site. Mande mais notícias sempre que tiver.
      Abraços,
      Raquel.

  4. Justamente por causa da abundância de pessoas como a pobre Gisela, é que deveríamos investir mais dinheiro público em educação, e menos em estádio de clube particular. Vejam a baixa capacidade de interpretação de textos simples. Viablizar o investimento privado….com dinheiro público??? Meu Deus!! Escola nela JÁ!!!

  5. Raquel, parabéns pelo texto.

    Pode estar certa que tudo que você escreveu é a mais pura realidade. Vou além, diria que é apenas 10% da mais pura picaretagem.

    Mas tudo normal, dias atrás foram denunciados desvios em nossa Câmara, cujo montante gira entre R$ 100 e 300 milhões e até agora nada de concreto aconteceu.

    Diante disso, entregar R$ 90 milhões para benefício de uma propriedade particular é “dinheiro de pinga”, ainda mais sob a ilusão de uma Copa do Mundo. Aliás, R$ 90 milhões é a estimativa inicial para concluir o estádio. Não sei se você sabe, mas vai ser cedida também uma praça pública inteira, defronte ao estádio, para fazerem o estacionamento. Terão ainda que indenizar diversos imóveis no entorno e realizar grandes obras viárias na tentativa de melhorar o tráfego da região que é caótico. Essa conta ainda vai lá pra cima.

    Estamos indignados com a forma com que o assunto está sendo tratado, o Executivo e os legisladores estão passando por cima dos interesses legítimos da cidade, ignorando, inclusive, estudos que demonstram que o local não comporta uma obra desse porte, pois é praticamente central.

    Mas como dizem os nossos “nobres” representantes daqui, tudo não passa de intrigas. Eu, particularmente, preferiria utilizar aquela velha expressão “acho que ainda tem muito caroço nesse angú”.

    Novamente, parabéns pelo texto.

  6. A senhora está enganada.

    A aplicação de recursos do Fundo de Desenvolvimento Econômico (FDE) do estado, será feita na forma de empréstimo à construtora responsável pela obra, e em composição com o potencial construtivo do município dado como garantias.

    O FDE é um instrumento financeiro do governo do Paraná constituído com a finalidade de apoiar programas e projetos de desenvolvimento econômico e social de interesse do estado.

    Em lugar nenhum está escrito que projetos ligados ao esporte, desde que contribuam para o desenvolvimento e seja de interesse do estado, como é obviamente o caso, estão impedidos.

    Os mesmos que opinam agora de forma indignada e quase revoltada jamais questionaram o emprego de recursos do mesmo FDE para empresas estrangeiras como a Volkswagen, Audi e Renault, por exemplo. Talvez nem saibam como se deu a operação.

    Atenciosamente

    Adit Vicente Miranda-

    http://melhordoparana.blogspot.com/2010/08/aos-puritanos-moralistas-e-austeros-de.html

    • Olá, Adit
      Obrigada por seu comentário. Me interessei muito por esta informação sobre recursos do FDE para a Volkswagen, Audi e Renault. Você teria mais dados e informações sobre isso? Quanto ao estádio, toda minha discussão é em relação ao uso do potencial construtivo. Abraços, Raquel.

      • Cara Raquel,

        No início dos anos 90, o Paraná começou a receber investimentos estrangeiros e as primeiras investidas foram do grupo alemão Volkswagen-Audi e da francesa Renault, que vieram ao Brasil desejando as vantagens de localização do Estado do Paraná e da Região Metropolitana de Curitiba.

        Dentre as inúmeras vantagens, temos: a então estrutura produtiva moderna e em expansão, localização estratégica do Estado diante da geografia do Mercosul além de condições infra-estruturais adequadas para empreendimentos industriais de porte e para a conexão de mercados, na área de telecomunicações, água, energia elétrica e transporte rodoviário e marítimo, junto de investimentos para modernização e ampliação dos sistemas como: internacionalização do Aeroporto, Terminais de Containers e Veículos e Expansão do Porto de Paranaguá.

        Outro fator que os europeus levaram em conta foi o forte potencial de qualificação da força de trabalho a partir de centros de educação técnica e universitária (continua ainda hoje com fortes universiades formando profissionais altamente capacitados), qualidade de vida e planejamento da região.

        No acordo com a Renault, por exemplo cada parte entrava com a sua responsabilidade (i.e: Renault – geração de 1.500 empregos diretos, após dois anos de faturamento e pagamento de R$ 50 milhões pela desativação da fábrica antes de vinte anos. Da mesma forma o Governo do PR: – Participação do FDE em 40% do capital inicial e futuras integralizações, até o teto, de R$ 300 milhões, com ações B sem direito a voto, Não distribuição de dividendos por quatro anos, Direito de preferência da Renault S/A na compra das ações B do FDE, Não utilização da participação para constituição de garantias

        …além de muitas outras contribuições tributárias e financeiras.

        Ainda na década de 70, muitas empresas entrangeiras vieram ao PR pelos mesmos beneficios fiscais usando o FDE em adquiriu cotas de participação de capital, como forma de atração dos investimentos diretos estrangeiros para Curitiba.

        O que isso representa ???? equiparar algumas desvantagens do Paraná sobretudo com o pólo de SP na disputa pelos empreendimentos

        Em relação aos benefícios e recursos envolvidos pelos governos estaduais e municipais para a Renault,
        temos os R$ 12 milhões gastos na aquisição do terreno de 2,5 milhões de m² para instalação da fábrica e do distrito industrial, R$ 18,5 milhões gastos em terraplanagem e drenagem do terreno, R$ 15 milhões com a construção de uma
        subestação de energia (que deverá servir a toda região),
        além de um subsídio de 25% no consumo de energia elétrica.

        Tudo isso tem a ver com algumas das vantagens que o FDE trouxe de bom para o Estado. Usar tal recurso para o término do Estadio, será bom para todos.

  7. Eles estão jogando contra os interesses da sociedade e indo em direção contrária aos órgãos técnicos competentes.
    O Mauricio esqueceu de falar sobre o rio Água Verde que passa canalizado sob o gramado da Arena do Atlético, que além de ferir todas as legislações ambientais federais, têm a cara de pau de dizer que o rio deverá ser desviado (não sei para onde em se tratando de Fundo de Vale, aliás o nome arena da Baixada vem daí) e esse custo o próprio Governador já deixou a letra de que é de responsabilidade pública! ABSURDO! Fora isso tem a questão especulativa imobiliária, com um superfaturamento na reversão do preço do imóvel em Potencial Construtivo de R$ 90 milhões… Esse imóvel não vale hoje 90 milhões nem aqui e nem na China!
    Recentemente o competentíssimo IAB-PR emitiu um parecer técnico sobre o assunto Copa na Arena.. segue o link:

    http://www.iabpr.org.br/noticias_100813.php

    Ontem o nosso prefeito cara-de-pau tentou um golpe malandro em plena luz do dia tentando aprovar o projeto-lei junto à Câmara Municipal… em vão… pois esse absurdo foi imediatamente repudiado por vereadores sérios daqui…
    Seguem mais infos:

    http://www.gazetadopovo.com.br/esportes/conteudo.phtml?id=1051798

    http://blogfutebolpr.blogspot.com/2010/09/na-calada-do-dia-camara-quer-acelerar.html

    • Caro Carneiro,

      as informações referentes ao Blog FutebolPR são falsas, uma vez que o site não usa fontes adequadas para fundamentar a crítica. Um site comandado pelo paranista Nello Morlotti que usa o espaço para desferir contra a instiuição atleticana não tem o meu reconhecimento.

      Em relação ao rio água Verde, as informações excusas de que ele teria de ser canalizado, surgiram apartir de criticas sem criterior nenhum do Sr. Airton Cordeiro, paranista declarado. Quando pessoas usam sua paixão clubistica para escrever em espaços públicos, elas têm de tomar mais cuidado. O IPPUC, orgão vinculado à Prefeitura de Curitiba e responsavel por obras desse tipo, liberou o terreno para ser construido e usado continuamente. Se fosse irregular, todas as casas e prédios situados no curso do Rio também teriam de ser desapropriadas (entre a Av. Vicente Machado e a Brasílio Itiberê). Quer dizer, é uma critica que surge, morre na casca, mas que gera um discusão ampla por obra dos autofagistas de plantão.

      Já em relação ao Jornal Gazeta do Povo, não há de se esperar muita coisa. Um jornal que luta continuamente para tirar a Arena da Baixada do cenário da Copa e que quer a construção de um estádio público com investimentos públicos na faixa de 500-600 milhões não pode ser serio. As votações na Assembleia Legislativa e na Câmara de Vereadores são importantes para acelerar o inicio da licitação das obras e dar seguimento ao projeto porque a Copa das Confederações sera realizada em 2013 e até lá tudo tem que estar pronto.

      A manifestação do arquitetos foi totalmente infeliz quando fez essa ressalva. Onde estava tal orgão quando houve a escolha por um estadio em Curitiba ? Onde estava tal orgão quando Curitiba foi escolhida como sede ? Onde estava tal orgão nas reuniões que aconteceram entre os dirigentes do Estado, do municipio e do clube para tentar viabilizar financeiramente a obra.

      É lamentavel ver pessoas usando a Copa para interesses escuros e sem significado.

  8. O Adit esqueceu de comentar que o FDE foi aplicado também de forma estranha pelo Governo Lerner… o mesmo que privatizou o Banestado e através de maracutaias injetou parte desse fruto cifrado no estádio em questão… Há de se julgar que essas empresas germa muito mais emprego e desenvolvimento social do que um estádio que cumprirá suas funções propostas para apenas um evento de 30 dias… depois será apenas o resultado de um aumento patrimonial de uma empresa privada com verba pública…

    Em todo caso aqui vai um link:
    http://www.afpr.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=35

    “FDE – Fundo de Desenvolvimento Econômico
    O Fundo de Desenvolvimento Econômico – FDE – é um instrumento financeiro do Governo do Estado do Paraná, constituído com a finalidade de apoiar programas e projetos de desenvolvimento econômico e social de interesse do Estado.

    Atualmente, por meio da concessão de subsídios, apoia os programas Trator Solidário, Irrigação Noturna, Bom Emprego Pequena Empresa e Subvenção para Pagamento do Prêmio do Seguro Rural.”

    • Carneiro,

      se você trouxer alguma mostra de algum investimento do Governo do Estado na gestão Lerner à Arena da Baixada, gostaria de ver.

      Em relação ao FDE, concordo com o que você disse. O FDE é um instrumento financeiro com a finalidade de apoiar programas e projetos de desenvolvimento econômico e social de interesse do Estado.

      Ora, se a Prefeitura de Curitiba recebeu na ultima semana R$ 222 milhões com o PAC da Mobilidade, somente para iniciar as obras de adequação da cidade para o Mundial, podemos dizer que o uso do FDE esta sendo feito de forma correta.

      As projeções do Governo indicam que mais cerca de R$ 1 bilhão serão investidos na Capital. Infelizmente muitos não enxergam tal cenário, usando da paixão clubística para tentar tirar o projeto da Arena e tentar tirar Curitiba da Copa.

  9. Adit Miranda….mais um que não aprendeu a interpretar textos. Depois de meses de discussão, ele ainda não entendeu que não há problemas em adquirir financiamentos com fundos de investimento, desde que se apresente as garantias para tal. Neste caso, quem dará as garantias é a Prefeitura, através do potencial construtivo, e o dono do estádio não se compromete a pagar nada. Mesmo com todas as isenções fiscais, os juros baixos, as facilidades de aval (o BNDES não aceitou os mesmos títulos que agora se pretende usar como garantia), os prazos alongados, a carência de 4 anos, ainda assim o dono do estádio não se compromete a pagar pelo empréstimo, que certamente será quitado pela Prefeitura. O sr. Adit quis fazer uma salada misturando Audi e Renault no assunto, típico de quem quer justificar uma roubalheira com outra maior. Que vergonha, sr. Adit. Infelizmente, o fanatismo pelo futebol está fazendo com que algumas pessoas, aparentemente de bem, percam a vergonha na cara e passem a apoiar e a ser coniventes com a corrupção, desde que beneficie o time do fanático em questão. Triste, muito triste.

    • Caro Gustavo,

      Não há roubalheira nenhuma nas questões que falei da Audi e Renault. Para bom entendedor meia palavra basta. O que eu disse (usando o referido texto) é que da mesma forma que o Governo do Paraná e a Prefeitura de São José dos Pinhais usaram da forma do FDE + Potencial Construtivo para construir o pátio das empresas, porque não usar a mesma alternativa para finalizar o estadio do Atlético.

      Aqui não há nenhuma razão clubística , mas sim muncipal e estadual para que se viabilize tal obra. A quantidade de investimentos que serão feitos em diversos municípios do Estado assim como na capital e litoral, é uma questão muito maior do que finalizar o estadio do Atlético.

      O BNDES somente não aceitou as garantias para financiar, porque dentro de sua politica de gestão, não há margem para financiamento direto a clubes de futebol. Nesse ponto, surge a cnstrutora, que será a parceira do empréstimo, colocando bens próprios como garantia e não, o potencial construtivo cedido pela prefeitura. Assim, os títulos imobiliários serviriam como uma contragarantia da empresa contratada.

      Dessa forma, não há possibilidades do potencial construtivo ser pego como garantia pelo Fundo de Desenvolvimento Econômico diretamente. O proprio Governador do Paraná, Orlando Pesutti, disse que “o próprio Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) poderia realizar o empréstimo. E não haveria tanta demora das procuradorias do estado e do município para tentar arranjar um instrumento jurídico que garanta essa forma de financiamento. Afinal, o Termo de Ajuste e Conduta (TAP) seria apenas colocar no papel o que foi acertado na reunião entre governo estadual, prefeitura e Atlético”.

      Como diz a autora deste blog, a “engenharia financeira” foi feita justamente para garantir que não haja investimento de dinheiro público na obra.

  10. Para receber investimento público, a instituição privada precisa ser transparente, honrar todos seus compromissos com o estado e principalmente oferecer uma contra-partida à sociedade.

    O que está patente neste caso é que a instituição sempre foi uma caixa-preta, o processo de decisão (com relação ao financiamento) pela primeira vez foi conhecido pelo grande público, e por fim o contribuinte não confia nos parcos estudos que foram feitos para mostrar os benefícios de sediar uma Copa do Mundo Fifa.

    Potencial construtivo como garantia de empréstimo foi um coelho tirado da cartola. E serve apenas para fazer valer um compromisso que a empresa em questão decidiu assumir mesmo sabendo que não poderia cumprir.

    • Martim,

      Uma empresa séria precisa primeiro honrar seus compromissos para se expor publicamente.

      Dessa forma, ela tem que possuir Certidão Negativa Conjunta de Tributos Federais e Divida Ativa, CND do INSS e Certificado de Regularidade do FGTS.

      Todos esses documentos o Atlético têm. Então isso não é uma brincadeira para ver qual clube vai ceder seu estadio para os jogos da Copa. Coritiba e Paraná seuqer possuem tais documentos. Então, os presidentes destes clubes antes de vir a imprensa, deveriam primeiro regularizar seus clubes e suas finanças.

  11. REQUERIMENTO GERA POLÊMICA NA CÂMARA
    Renata Polatti – 29/09/2010
    Um requerimento que pedia regime de urgência na votação de um projeto gerou polêmica na Câmara dos Vereadores. Vereadores da bancada do prefeito e da oposição trocaram ofensas no plenário.

    ÁUDIO:

    [audio src="http://www.cbncuritiba.com.br/arquivo/download/2246-PotencialConstrutivo-Renata.wma" /]

  12. Curitiba e a Copa do Mundo de 2014

    O coritibano Marco A. de C. Deus faz contundentes observações sobre a artimanha política que visa a destinação de dinheiro público à Baixada

    30 de setembro de 2010, 09h00

    Estamos assistindo a um triste episódio da política no Paraná, aos amigos que como eu assistem de camarote lance a lance cada capítulo da novela da Copa do Mundo na Arena da Baixada sabem bem do que eu estou falando.

    Por pura politicagem sem pensar na cidade de Curitiba montou-se uma bancada comandada por Mário Celso Cunha e os dirigentes políticos do Atlético. Eles querem a qualquer custo o dinheiro da Copa destinado a Curitiba, digo a qualquer custo porque estão tentando empurrar a todo mundo goela abaixo, se recusam a ouvir o instituto de engenharia do Paraná, e o setor de contas da cidade, além de procurarem estabelecer maneiras de burlar a Câmara Municipal de Curitiba.

    O PAC para a Copa do Mundo prevê investimentos em infra-estrutura para cidade de Curitiba no valor de 220 milhões de reais. A conclusão do estádio do Atlético irá custar algo em torno deste mesmo valor, sendo que estão exigindo da prefeitura 90 milhões de reais, e do Governo do Estado através de fundos perdidos mais 90 milhões.

    Resumindo, algo que deveria ser bom para Curitiba toda, está sendo engolido por uma corja de ladrões partidários. Estou dizendo isto pelo simples fato que a conta pode ser feita de maneira contrária a esta proposta.

    Caso a Baixada ficasse de fora da Copa outro estádio teria que ser construído, algumas construtoras já deram sinais de interesse através de contratos com outros clubes locais (Coritiba, Paraná). O investimento seria algo em torno de 350 milhões de reais, dinheiro este única e exclusivamente da construtora interessada, da mesma maneira que está ocorrendo em São Paulo através do novo estádio do Corintians.

    Uma conta simples mostra que a copa na Baixada significa zero a zero para Curitiba e o povo do Paraná, o mesmo dinheiro que o Estado e a prefeitura recebem, eles gastarão na conclusão do estádio atleticano tendo como único beneficiado obviamente o próprio Atlético.

    Por outro lado caso a prefeitura desista da Baixada e se volte para novas propostas poderá receber 350 milhões de reais em investimentos na economia Paranaense através de um novo estádio, mais 220 milhões que serão repassados pelo governo federal direto para seus cofres o que geraria obras por toda Curitiba.

    Hoje mais uma vez o projeto foi barrado na Câmara de vereadores de Curitiba que não vê como aprovar tamanha barganha*. Uma cláusula no projeto prevê um possível decreto do prefeito passando por cima da mesma. Caso isto aconteça veremos uma copa sem recompensa nenhuma para nossa cidade. Antes falavam em rodovias, trincheiras e até mesmo uma linha de metrô para Curitiba caso fosse eleita como uma das cidades da Copa, agora nada mais falam, tudo foi desviado e de uma maneira que juro, nem eu esperava.

    * Barganha ou berganha é o ato de trocar, de forma fraudulenta um objeto por outro. Em alguns casos, a barganha é simples componente psicológico em que através de pressão emocional consegue-se que uma determinada atitude seja tomada ou uma vantagem seja conseguida.

    Marco Aurélio de Castro Deus é Coxa-Branca de coração.

    Nota: A opinião do autor não representa necessariamente a opinião da equipe de administradores do site COXAnautas, que apenas cede o espaço à publicação.

  13. EMPRÉSTIMO PARA CONCLUIR ARENA DA BAIXADA TERÁ QUE PASSAR PELO CRIVO TÉCNICO DO BANCO CENTRAL E TRIBUNAL DE CONTAS
    Da Redação Radio CBN – 29/09/2010

    Ouça a entrevista com o diretor jurídico da Agência de Fomentos do Paraná, Leonardo Andrade.

    [audio src="http://www.cbncuritiba.com.br/arquivo/download/290910Leonardo_Andrade.wma" /]

  14. O certo mesmo é criar elefantes brancos como estão fazendo Brasil afora.

    É melhor investir 500 MI (mais os desvios) do que simplismente alterar o zoneamento de uma área… que NÃO TERÁ NADA MAIOR DO QUE O ZONEAMENTO ATUAL PERMITE..
    Para que possa vender o potencial contrutivo (esse tipo de operação já existe aos montes, principalmente em São Paulo).

    O que fizeram foi aumentar a área possível de construção, para terem mais papeis para serem negociados.

    Os gênios que não conhecem nada sobre o assunto, não viram ele ser discutido..

    O PC vai servir como garantia do empréstimo, simplismente porque não pode-se saber se irá vender 10 mil reais ou 5 milhões em um ano…

    Se o clube vender a cota anual ( 5,5 mi), paga em dinheiro, se não vender.. o banco pega 5,5 mi em potencial contrutivo, para vender quando houver a procura.

    Ninguém fala que é o time com menor divida do Brasil, que amanha se precisar consegue uma certidão negativa junto ao governo, que vai pagar 30 MI + juros do seu bolso ..

    Insistem nessa história que é dinheiro público, sendo que o direito a propriedade no terreno da arena é do Atlético.
    Ele já poderia ter vendido o PC da atual área…

    Que o projeto vai custar 4x mais do que as necessidades do Atlético, para satisfazer uma necessidade DA PREFEITURA E DO GOVERNO DO ESTADO.. ninguém comenta nada…
    Que os maiores beneficiados (estado, governo e população em geral) queriam todos os Bônus da realização da copa, deixando os ônus para o CAP, isso ninguém comenta..

    Sinceramente, se isso não é birra, picuinha, inveja …
    Só pode ser pura má vontade mesmo

  15. É, por um lado é verdade, mas por outro o Paraná deixou de gastar mais de 600 milhões (em dinheiro vivo) em um estádio público que ainda traria um enorme déficit anual (assim como TODOS estádios públicos brasileiros), e que no fim também beneficiaria a orgãos privados (os demais clubes). O Estado se livrou de uma bomba, isso sim.

    Pode-se citar inúmeros casos em que o interesse público converge com o interesse privado, e faz-se negócios que beneficiam ambos.

    É lógico que trata-se de uma decisão polêmica, ainda mais por envolver paixão clubística. O fato é que o Paraná será o estado que menos gastará dinheiro com estádio de copa, e viablizará inúmeras linhas de financiamento para obras de transporte e infra-estrutura no Estado. Sera que neste caso os fins justificam os meios? Na minha opinião sim.

  16. Entrevista com a Vereadora Profª Josete da Bancada do PT na Câmara Municipal de Curitiba que é contra a injeção de recursos públicos na arena e se posiciona em defesa dos interesses legais da sociedade.
    http://www.goear.com/files/external.swf?file=0cd57cb

    Entrevista com o presidente da Câmara Municipal de Curitiba, o Vereador João Claudio Derosso do PSDB que como, se pode perceber, apoia a injeção dos recursos públicos na arena… Em um dos trechos da entrevista ele diz que “o Clube Atlético Paranaense é um artigo??? da Copa do Mundo e que receberá “apenas” R$ 90 milhões” (APENAS???)
    REALMENTE INFAME!!!!! Como voces podem ver… Curitiba virou a cidade do banditismo político… Pilantras nas figuras de coronéis acham que podem passar por cima da opinião pública, por cima da Constituição Brasileira e por cima da moralidade civil em funçao de benefícios particulares escusos…
    http://www.goear.com/files/external.swf?file=95e5a03

    • Ele fala em “apenas” comparativamente com as outras capitais. No Rio, Salvador, se gastará mais de 1 Bilhão.

  17. O que alguns aqui não explicam é como um estadio novo, com valor minimo de 400 milhões, é mais vantajoso para o Estado que os 90 milhões que serão investidos no Joaquim Americo. Outra pergunta: Para que o Estado precisa de um estadio de futebol? Nem São Paulo, que é o estado mais rico da união assumiu a construção de um. Provavelmente é um grande negocio para os outros dois times aqui de Curitiba, pois são clubes que vem sendo mal administrados a anos. Neste exato momento um esta nas paginas de esporte por não conseguir pagar os salarios, desde do mais alto ao mais baixo cargo dentro do clube. O outro, tambem ja anunciado pela midia, tem dividas proximas do valor de 40 milhões. Ambos querem um estadio novo construido pelo Estado, sem por um tostão no negocio. O Atlético vai assumir um divida de 30 milhões para complementar o dinheiro necessarios para as obras. E para terminar. TODOS ja sabiam que a copa viria a Curitiba, e isto ja fazem dois anos. Durante todo este tempo não foram capazes de viabilizar um projeto que fosse mais viavel ao Estado, como é o projeto do Atlético. Alias, este é o projeto apresentado pelo Atlético. http://www.atleticoparanaense.com/arena/ArenaCap.pdf
    PROJETO, não desenhos de computador publicados na imprensa local, que posteriormente vindo a conhecimento publico serem apenas desenhos, sem nenhuma planta ou estudo feito.

  18. Eu quero a copa em Curitiba !!

    Os critico que comentam contra a copa em Curitiba, dinheiro publico em obra privada e bla, bla, bla… tudo isso é pura rivalidade clubística já que o CAP ofereceu seu estádio e apresentou um projeto para a copa, e os outros times ?? NADA !! apenas aparecem agora para jogar pedra. Isso é fácil, por que não apresentam um projeto ?? por que é difícil, exige raciocínio e inteligência, e também tem que ter algo bom para oferecer, o que não é o caso dos rivais.

    Pura opinião burra, cheia de falta de informação, lamentável !!

    Talvez pra esses o melhor é não ter copa em Curitiba, o CAP que termine seu estádio com recursos próprios sem a frescura de encargos da FIFA, e eles que se afundem na sua mediocridade.

  19. O senhor aqui que disse que o Atlético vai pagar essa conta, engana-se redondamente…
    O presidente do clube, em julho passado, disse em uma entrevista para a Paraná Online que não colocaria nenhum palito do patrimônio do clube como garantia de financiamento… segue trecho:

    “Lula terá audiência com representantes do governo estadual e da Prefeitura de Curitiba – Orlando Pessuti e Luciano Ducci à frente – na próxima segunda-feira, quando será discutida a questão Copa do Mundo na cidade. Haverá um apelo ao presidente para que ele intervenha junto ao BNDES, com o objetivo de haver uma flexibilização nas exigências do banco para a liberação de recursos que possam adequar a Arena ao caderno de encargos da Fifa. Até o momento, o BNDES só aceita liberar a linha de crédito se o próprio estádio e o CT do Caju forem dados como garantia.

    No entanto, na reunião de ontem, segundo fontes, o vice-presidente do Atlético, Ênio Fornea Júnior, foi taxativo ao dizer que “nenhum palito do patrimônio do Atlético” será dado como garantia. A diretoria também se nega a dar aval pessoal para a captação de recursos. Diante da irredutibilidade rubro-negra, será buscada uma outra alternativa, via Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE). Neste caso, o BRDE captaria do BNDES os recursos necessários para a adequação do estádio e daria como garantia o potencial construtivo do terreno da Arena da Baixada.”

    http://www.gazetadopovo.com.br/esportes/conteudo.phtml?tl=1&id=1025201&tit=Uso-da-maquina-ganha-forca-na-novela-Arena
    Em outra matéria do jornal Gazeta do Povo sobre a Assmbléia Pública sobre o assunto que aconteceu em julho também, há mais problemas expostos… segue trecho:

    “Para complicar ainda mais a situação, o Atlético trouxe à tona outro problema de ordem monetária: o clube teme que os valores hoje estimados não sejam mais suficientes.

    “Falamos [agora] em cerca de R$ 200 milhões [valor 48% maior que o estimado]. São os R$ 120 milhões da obra, com redução de impostos, mais 20% de deságio do projeto de novembro para agora. E o clube terá de arcar com R$ 45 milhões de prejuí zo, pelo tempo que ficará sem o estádio”, disse Amadeu Geara, diretor fiscal do Rubro-Negro.

    O clube, que prometeu arcar com 33% da obra (estimada inicialmente em cerca de R$ 135 milhões), ainda reforçou um apelo: “A Copa é de Curitiba e não do Atlético”, disse Glaucio Geara, presidente do Conselho Deliberativo do clube. Marcos Malucelli, presidente atleticano, não compareceu à audiência.

    Já o deputado Antonio Anibelli (PMDB) cobrava a construção de uma obra pública. “Eu fui um dos que comprei três cadeiras no Pinheirão. Por que não reformar lá então? Esse nome ‘Arena’ é maldito, me lembra a ditadura”.”

  20. Podem ter certeza que essa obra vai muito além dos 138 milhoes… Até por isso o Atlético não apresentou nenhum projeto da construção do estádio, pois o mesmo envolverá custos extras que estima-se chegar na casa dos R$ 250 milhões… E a conta tende-se a engordar cada vez mais e a mesma será cobrada de quem? Da população otária é claro!
    O “professor” de arquitetura acha que só ele entende de Potencial Construtivo… tsc tsc… Acha que só ele é arquiteto e engenheiro aqui??? Ele deve nos poupar das suas blasfêmias…

  21. Raquel, você sabia que, aqui em Curitiba, obras acima de 5 mil m² precisam apresentar Relatório Ambiental Prévio, conforme definição do DecretoMunicipal nº. 838/97, antes de se desenvolver qualquer tipo de projeto construtivo para o empreendimento?
    E envolvem vários impactos ambientais a serem avaliados por várias entidades públicas e civis competentes, que passam dos efeitos no sistema viário, poluição sonora, poluição visual, sistema de captação de águas, de combate a enchentes, coleta de lixo, esgoto, bacias hídricas, vegetação, até mesmo os efeitos sócio-economicos da região, etc…
    Nada disso ainda foi apresentado por estes senhores…
    pois é… estão passadno por cima disso tudo também…
    Segue um link de um termo de Referência de RAP para voce compreender melhor…
    http://www.mfa.unc.br/posgraduacao/downloads/silvia/TR_RAP_SMMA.pdf
    abs

    • Quem desvia dinheiro público e se vende é o atlético do água verde, aliás, baixar o nível é com vocês mesmo, desespero total, qualquer ação da mídia desmascarando esta maracutaia e já tem um bando defendendo a barbárie…

    • Caro Gustavo,

      sou apenas um torcedor pela Copa em Curitiba opinando contra milhares de autofagistas de plantão. É de se lamentar que pensem assim.

      Um investimento sem recursos públicos e que vai colocar a cidade e o Estado definitivamente na rota das grandes cidades do mundo. Esse é legado da Copa

  22. Prezada Professora Raquel,

    Os vereadores de Curitiba sinalizaram de forma acertada a transferencia do potencial construtivo para obras no estadio do Atlético Paranaense.

    http://www.bemparana.com.br/index.php?n=161363&t=potencial-construtivo-da-arena-ganha-sinal-verde-da-camara

    Seria interessante o seu blog realizar uma entrevista com algum da coordenação da Copa em Curitiba, haja visto que duas materias foram feitas para explicar os motivos contrarios à Copa e nenhuma foi feita de forma favoravel.

    Desde ja agradeço a atenção

    Adit

    • Olá, Adit
      Meu blog é um blog opinativo. Ele não tem uma estrutura jornalística que me permita realizar entrevistas.
      Mas se você quiser, pode me enviar as notícias que eu tentarei publicá-las e comentá-las por aqui.
      Abraços,
      Raquel.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s