Quem ganha, de fato, com os pedágios?

As tarifas dos pedágios nas rodovias estaduais terão novo aumento nesta quinta-feira. O preço cobrado nos pedágios paulistanos está entre os mais caros do mundo. É fato que as estradas de São Paulo são consideradas as melhores do país. Mas a pergunta que precisa ser feita é: quem, de fato, ganha com os pedágios?

Examinando rapidamente a composição das empresas concessionárias das rodovias é possível concluir que em todas, ou quase todas, estão presentes as grandes empreiteiras que constroem e mantêm as rodovias.

Ou seja, as rodovias que foram privatizadas foram construídas com dinheiro público e depois passaram a ser exploradas pela iniciativa privada, que ganha duplamente: recebem os pedágios que os cidadãos pagam e com isso investem em obras, remunerando regiamente suas atividades como empreiteiras, sem licitação.

Leia notícia do Estadão sobre o aumento dos pedágios.

5 comentários sobre “Quem ganha, de fato, com os pedágios?

  1. Olá Raquel e demais leitores do blog,

    Realmente a questão dos pedágios no Brasil todo – e no Estado de São Paulo, em particular – evidencia o conluio entre as grandes empreiteiras e o poder público.

    No fim das contas, as possibilidades de viagens e as estradas do país ficam sujeitas aos interesses de empresas que buscam maximizar seus lucros – sem se importar com os valores dos pedágios e com as condições reais de deslocamentos das pessoas.

    Por fim, repasso o link de dois sítios:

    Fórum Popular Contra o Pedágio – http://www.pedagio.org/

    e

    Abaixo-Assinado Contra o Preço Abusivo dos Pedágios – http://www.apoiopopular.org/?page_id=54

    Abraços.

  2. Raquel,

    vc. poderia discorrer um pouco sobre o assunto “outorga” (valor que as concessionárias pagam para o governo durante o período de concessão), que pelo que tenho lido a respeito, seria o vilão dessa história. Ou seja, a sanha arrecadatória do governo do estado estaria por trás do alto custo do pedágio, visto que na licitação de nossas rodovias, venceram as empresas que ofereceram os maiores valores de outorga em combinação com o valor da tarifa cobrada dos usuários. A razão dos baixos valores que vem sendo cobrados na rodovias federais seria justamente o fato de estar se abrindo mão das tais outorgas. Este raciocínio está correto?

  3. A mafia do pedágio que financia as campanhas politicas do PSDB é por isso que não largam o estado de Sao Paulo.
    É muita bandidagem e as autoridades dão total apoio…
    Pobre só anda de carro nas cidades, porque se for viajar o dinheiro fica com os Bandidos do Pedágio… alias assalto amparado pelo nossa justiça…eeeeeeeee BRasillllllllll…..

  4. Dizem que o Sr. Mário Covas deixou um presente para seus familiares antes de morrer, ou seja, entregou toda a malha viária de São Paulo a empresas em que seus filhos teriam participação, para implantação do pedágio mais escabroso do planeta.
    Sempre admirei o Mário Covas e pode ser que a afirmação acima seja somente uma mentira inventada por grupos políticos rivais, o que não seria de se estranhar nesse Brasil Varonil.
    Porém, se for verdade, seria uma lástima para a biografia daquele político.
    E para a gente enfrentar a questão e mover a opinião pública contra esse abuso não é tarefa nada fácil, porque paulista (e não vai aqui preconceito porque eu sou paulista da gema do ovo, como diriam antigamente) é o ser mais alienado, bairrista e bossal de todo o país.
    Sempre vai aparecer um mano com sotaque da Mooca pra dizer que tem pedágio caro, mas tem estrada boa.
    E o resultado está aí.
    Pra gente ir a Ribeirão Preto, a gente tem que pagar 14 (QUATORZE) maledetos pedágios..dá pra encarar? UM, DOIS, TRÊS, QUATRO, CINCO, SEIS, SETE, OITO, NOVE, DEZ, ONZE, DOZE, TREZE, QUATORZE……
    São seiscentos quilômetros (ida e volta) e tem pedágio com preço variado com distância de apenas nove quilômetros entre um e outro.
    A verdade vai aparecendo, pois na última eleição. o jovem Bruno Covas, netinho do político famoso, foi eleito com uma votação de causar inveja ao Tiririca, ficando a dúvida se ganhou o cargo por ser de descendência nobre ou foi meramente financiado pelo esquema dos pedágios, o que é uma desgraça tanto pelo primeiro, quanto pelo segundo motivo.
    E com todo o respeito, se esse menino entrou na política pra ser um ponta de lança desse esquema, menino de recado do tucanato, o que eu torço para que seja mentira, chegaremos à conclusão de que o Tiririca é muito menos perigoso que ele.
    São seis milhões de passagens por pedágios por semana, brava gente paulistana.
    Multiplicados por uma média de sete ou oito reais, a gente chega a uma soma suficiente para pagar melhor o médico, o professor, o policial civil, o policial militar e sobra dinheiro para acabar com o feio calote dos precatórios judiciais.
    Cadê o bolo que tava aqui?
    O Tucano comeu?
    Desculpem o tamanho do texto e muito obrigado pelo espaço democrático para minha manifestação.
    Será que ainda temos paulistas com capacidade e disposição cívica para organizar uma frente contra essa indecência?
    Abraços a Todos
    Ricardo de Azevedo

    • Ricardo,
      Viajei de Jundiaí até SJ Rio Preto e paguei ida e volta R$ 240,00, ou seja mais de US$ 120 para rodar 900 km. Desconheço no mundo algo semelhante.
      Esta rapinagem patrocinada pelos tucanos que se apoderaram de nosso estado é um abuso. Considerando seus comentários a coisa é mais danosa e porque não dizer “incestuosa” entre o Governo e as empresas que exploram as praças de pedágio. Solução? Não votar nestes caras!
      Sds,

      Mario Bueno

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s