Prioridade para o automóvel em relação ao pedestre precisa mudar

Os tempos semafóricos são insuficientes para pedestres em São Paulo. É uma questão simples, mas muito importante para a qualidade de vida daqueles que se deslocam a pé na cidade, que são quase 40% do total dos deslocamentos na região metropolitana.

Em alguns cruzamentos, o semáforo fica verde durante vários minutos seguidos para o carro e apenas 20 segundos para o pedestre. Para uma pessoa cruzar duas vezes, como é o caso de alguns locais, o tempo gasto é desproporcional. Isso mostra claramente a priorização para o automóvel em relação ao pedestre na nossa cidade, que precisa mudar.

A CET tem um serviço para que o pedestre possa fazer uma reclamação desse tipo, que é o número 118. Mas, ao fazer essa reclamação, alguém te ouve, registra e depois você fica sem saber o que aconteceu com a sua demanda, para onde foi e quanto tempo vai demorar para ser atendida. Ou seja, você não consegue acompanhar o processo a partir do momento da sua reclamação. Isso ocorro em vários serviços da prefeitura que montaram call center para receber reclamações de ouvintes, mas não têm um sistema de acompanhamento e gerenciamento dessa reclamação.

Como o Luis Megale lembrou na BandNews, a cidade de Londres adotou em um cruzamento importante uma faixa em X para pedestres. Por exemplo, no cruzamento da Paulista com a Brigadeiro, em determinado momento fechariam as duas vias para que os pedestres pudessem atravessar paralelamente ou em X, na diagonal.

Em São Paulo isso seria uma solução técnica possível, porque quando o pedestre tem que fazer o X, atravessar para o outro lado, fazer os dois cruzamentos, ele é obrigado a passar, esperar o sinal abrir para o outro lado e de novo passar. Acaba demorando muito tempo, principalmente nos cruzamentos mais movimentados, como é o caso da Paulista com a Brigadeiro.

A faixa em X pode ser uma alternativa e implicaria em uma mudança no comportamento dos carros e dos pedestres, porque não é só o motorista que deve aprender, os pedestres também devem. É uma solução adequada, mas o mais importante é seu objetivo: fazer com que o pedestre comece a ser priorizado na cidade de São Paulo.

4 comentários sobre “Prioridade para o automóvel em relação ao pedestre precisa mudar

  1. Este texto pode tranquilamente ser estendido para outras cidades brasileiras. No Rio de Janeiro, por exemplo, vias expressas são verdadeiros “paredões” para pedestres, com pouquíssimas alternativas de travessia (como o aterro do Flamengo, a av. Brasil entre outras). Por outro lado, não raro
    o pedestre sem muitas alternativas se coloca em risco, atravessando em locais inadequados. Sem contar o despreparo das cidades para portadores de necessidades especiais… Se 20s são poucos…

  2. Estou fazendo uma pesquisa sobre a seguranca de pedestres no Brasil.

    Gostaria de saber qualquer tido de informacoes sobre melhorias feitas para pedestres.

    Obrigada

  3. Atravessar uma rua com semaforo para pedestre ja e ruim. Agora imagina atravessar uma das marginais a pe. As pontes sao pessimas para os pedetres, atravessar as alcas de acesso eh colocar a vida em risco, nao existem escadas ou rampas, nem faixa de pedestre, nem nada.

  4. Assim como a Brigida Vandoornik, estou desenvolvendo meu trabalho final de graduação sobre o ambiente do pedestre em Recife, onde posso obter maiores informações sobre o assunto?

    Obrigada.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s