Reforma da zona portuária do Rio para Olimpíada é chance para equacionar acesso à moradia na região

Farei alguns comentários mais detalhados sobre o plano para a zona portuária do Rio, que pode ficar bastante interessante.

É uma discussão que já se arrasta há muitos anos no Rio, por ser uma área com enorme potencial de renovação. Inclusive porque lá mais de 70% dos terrenos são de propriedade pública. A maior parte é do Governo Federal, em função do Rio de Janeiro ter sido a capital federal, e também porque muitos terrenos pertencem ao Porto do Rio, que também era de propriedade federal e agora se transformou bastante.

A proposta para revitalizar a zona portuária começou a acelerar. O prefeito Eduardo Paes apresentou uma proposta, que se chama “Porto Maravilha”, e enviou três Projetos de Lei para a Câmara Municipal.

Um altera o Plano Diretor, outro cria uma Operação Urbana para permitir a venda de potencial construtivo para poder realizar obras públicas, a exemplo do que foi feito em São Paulo, nas Águas Espraiadas e na Faria Lima. E o terceiro cria uma companhia de desenvolvimento, uma empresa de economia mista pra cuidar do porto, das obras e da gestão dessa área.

Essa companhia mista poderia ter a participação do Governo Federal e do Governo Estadual, sob a forma de terrenos, e da Prefeitura, sob a forma de venda de potencial construtivo.

A zona portuária é uma área histórica importantíssima para o Rio de Janeiro. Há um grande patrimônio histórico ali, como o Mosteiro de São Bento, que data do início do século XVIII, e o Morro da Conceição, que é uma das primeiras áreas ocupadas no Brasil, além do primeiro arranha-céu da América Latina, o edifício “A Noite”, construído nos anos 20, e muitos outros elementos históricos importantes.

Também há 14 comunidades de moradores que vivem nessas áreas. Pelo que pude ver nos planos, está prevista a construção de edifícios altos, que podem chegar a até 40 pavimentos. Mas nas não vi ainda qual será o destino das pessoas que estão lá. E já notei repercussões no Rio reclamando da falta de discussão pública desse projeto, já que ele está tramitando na Câmara e está sendo aprovado a toque de caixa. Há um certo receio sobre como é que esse projeto vai atender a várias questões colocadas no espaço.

A área hoje tem 22 mil habitantes e a previsão é que ela passe para 100 mil habitantes, o que é super positivo, ter mais gente morando na zona portuária. Mas a questão é quem, como, como é que isso pode ser feito para incluir as várias faixas de renda e o que vai acontecer com quem está lá.

O Rio de Janeiro estabeleceu uma relação muito positiva entre Prefeitura, Estado e Governo Federal para tocar essas obras, e isso é muito bom. Também tem planos e propostas de intervenção. Mas alguns pontos estão desconectados e precisamos ver como é que serão feitos.

Por exemplo, fui procurar um número mais preciso sobre as favelas instaladas na Barra da Tijuca. São mais de 63 comunidades, mais de 30 mil pessoas moram lá, e eu olhei e re-olhei os planos, vi as propostas para o saneamento, para o transporte, de onde vêm os recursos, mas eu não vi o que será feito em relação a essas comunidades.

Tenho um pouco de receio, porque é  tipo de pressão que ocorre muito no Brasil. Quando aparece uma oportunidade dessas, alguns poucos saem correndo para se aproveitar, para ganhar muito dinheiro, fazer seus empreendimentos, e os interesses públicos mais gerais da cidade acabam indo pra trás.

Mas o Rio de Janeiro está com uma oportunidade na mão enorme para fazer diferente. E acho que nós temos que acreditar que pode ser diferente, e precisamos acompanhar esse processo.

7 comentários sobre “Reforma da zona portuária do Rio para Olimpíada é chance para equacionar acesso à moradia na região

  1. Se nada for feito para que as pessoas possam progredir em suas próprias terras de origem, capacitando-as e investindo em desenvolvimento por lá, preparem-se para um grande êxodo rumo ao Rio nos próximos anos, aumentando ainda mais os já elevados problemas sociais da bela capital fluminense… E não adianta reprimir novas ocupações, pois isso só transfere o problema.
    Os números mostram que este fluxo já vem aumentando bastante nos últimos anos, diferente do que ocorre em SP onde o há uma inversão com muitos migrantes retornando…
    No caso de SP, não apenas a capital mas também as cidades vizinhas tem pegado pesado com as novas ocupações (e até antigas), e neste caso o problema tem sido transferido para suas cidades de origem, a maioria no Nordeste…
    Desaprovo a repressão mas também acho que os problemas habitacionais vão muito além de construir moradias como já destaquei em outros comentários…

    • É Paulo, o problema da nossa cidade é que tem “fiscal” para tudo, menos para ocupações irregulares…

  2. Sobre as Olimpíadas, fiquei me perguntando como o Rio de Janeiro vai receber e acomodar todos os trabalhadores que para lá vão em busca das oportunidades de trabalho que vão surgir nos próximos anos. Ainda não vi comentário nem preocupação com o tema.

  3. Prezada Professora,
    Como morador do Rio de Janeiro desde sempre e trabalhador na região da Praça Mauá há muitos anos, tenho preocupações pareceidas com as suas. As olimpiádas são uma oportunidade sem par para o Rio de Janeiro. São também um grande perigo. Vide Jogos Panamericanos. Falta conservação e pequenas intervenções que podem resolver de forma simples problemas crônicos da cidade. Megaplanos de revitalização tendem a estourar orçamentos e se transformarem em oportunidade apenas para alguns. Permita-me convidá-la a ler alguns posts a respeito no blog cariocadorio.

  4. Sou moradora do rio de janeiro e espero que a população ajude também a reforma que será realizada,devemos ter a consiência que isso será utilizado por nós mesmos,e se não aproveitarmos prejdicará a nós mesmos.

  5. Esta reforma virá melhorar muito a paisagem do Rio de Janeiro,nossa querida Cidade Maravilhosa, admirada pelo mundo todo.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s