Copa das Confederações: manifestações denunciam violações de direitos

Movimentos e organizações da sociedade civil realizam manifestações nesta sexta-feira (14), véspera da Copa das Confederações, para chamar a atenção da sociedade às violações de direitos que estão acontecendo no processo de preparação do país para a Copa de 2014. Em São Paulo, o ato “Copa pra quem?” acontece a partir das 16h, no Masp, na Avenida Paulista.

Já no Rio de Janeiro, o Comitê Popular da Copa realiza, no próximo sábado, no Quilombo da Gamboa, na zona portuária, a Copa Popular Contra as Remoções, um campeonato que tem como objetivo integrar comunidades ameaçadas de remoção. Os jogos começam às 9h e, na ocasião, será lançado o saci, Mascote Popular da Copa. No fim da tarde, a partir das 17h, a atividade será encerrada com uma festa junina.

Equipes do Morro da Providência, Santa Marta, Salgueiro, Indiana, Muzema, Vila Autódromo e Vila Recreio II já confirmaram participação.

Veja a página do evento do Rio no Facebook.
Para mais informações sobre o ato de São Paulo, clique aqui.

mascote popular da copa saci

About these ads

7 comentários sobre “Copa das Confederações: manifestações denunciam violações de direitos

  1. É Raquel… por aqui nas Minas Gerais a coisa anda muito diferente…
    Na última quarta-feira foi lançado em Belo Horizonte um “Plano de Mobilidade” para os eventos da FIFA com severas restrições à liberdade de trânsito dos cidadãos (e estou me referindo, inclusive, ao trânsito de pedestres). Nem mesmos moradores de quadras próximas ao Estádio Mineirão terão livre acesso às ruas onde residem (deverão preencher um cadastro para liberação do acesso às ruas – apenas aos moradores). Até mesmo o comércio, em um raio de 2 km do estádio, está proibido de funcionar durante os eventos.
    Confira: http://www.mg.superesportes.com.br/app/noticias/campeonatos/copa-das-confederacoes/copa2013-noticias/2013/06/12/noticia,253469/bh-lanca-plano-de-mobilidade-com-restricao-de-circulacao-no-entorno-do-mineirao-e-onibus-gratuitos.shtml
    Não sendo o bastante, hoje (14/06) o Tribunal de Justiça de Minas Gerais acatou o pedido do Governo do Estado e proibiu manifestações em todo o estado durante a Copa das Confederações, sob pena de multa de R$500 mil aos sindicatos que desrespeitarem a medida.
    Confira: http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2013/06/13/interna_gerais,405550/justica-proibe-manifestacoes-durante-a-copa-das-confederacoes-em-minas.shtml
    E o pior dessa situação é que são raras as manifestações e poucos os segmentos da sociedade belo-horizontina a se organizar contra os absurdos e atentados de Estado até agora cometidos contra direitos e liberdades “assegurados” na Constituição.
    Lastimável…

  2. O Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais a pretexto de proteger a população durante a copa das confederações, acaba de proibir sindicatos de se manifestarem NÃO APENAS no entorno do Estádio Mineirão MAS EM QUALQUER REGIÃO OU LOGRADOURO DE MG !!!
    Decisão absurda que viola o direito de expressão e de reunião pacífica garantida no art. 5 da Constituição de 1988 e que deveria ser divulgada.

    • Eu li sobre a matéria. Então, o governo do Estado de Minas Gerais sabendo que não vai conseguir debelar ou controlar as manifestações, recorre ao Tribunal de Justiça. O que demostra o quão é frágil a postura governamental.
      Volto o meu pensamento a Bernarda, conhecida como a Revolta da Cachaça, uma revolta eminentemente ‘popular’ acontecida em meados do século XVII, onde os colonos lavradores, comerciantes e pescadores já enraizados e dos nobres latifundiários, que questionaram os mandos e desmandos da família Correia de Sá, donos de todas as terras do Rio de Janeiro. Mas mesmo com a diminuição das regalias pela Coroa Portuguesa aos herdeiros dos fundadores da Capital, nada foi mudado. O Brasil ainda continuou ser o campo fértil e frutífero da Coroa Portuguesa. Transferiu–se a Coroa, mas a retórica é a mesma.
      A propósito, alguém viu a reportagem sobre o lobby no Congresso para a distribuição dos campos petrolíferos e o pré-sal para as empresas estrangeiras? O negócio é sério. Se houver a quebra do monopólio, teremos menos de 40% da reserva nas mãos da Petrobrás.

  3. raquel, sou arquiteta e urbanista, faço mestrado no ppgau ufba e acompanho seu blog. gostaria de saber sua opiniao sobre os acontecimentos em sao paulo. grata, amine portugal

  4. Cara Raquel Desculpe-me , mas depois que todos envolvidos encheram os bolsos com todas obras super-faturadas, s resta ao Povo Brasileiro, arcar com a Inflao alta, mais impostos, e finalmente pagar a conta , e ficar quetinho. O brasileiro no sabe nem se manifestar. Com tanta coisa errada vo reclamar de R$0,20 de aumento no transporte publico. Piada no ? Isto perto dos Mensales, Obras super-faturadas, obras abandonadas e niguem punido, altos salarios nas Camaras Municipais, Assembleias Estaduais, Camara Federal, Senado em todos os niveis. Falta de um Sistema Publico de Sade , falta de Segurana nas ruas, etc. etc, Grato pela oportunidade Antonio da Ponte Ambientalista da Aclimao -So Paulo-SP

    • Eu só quero entender uma coisa. A grana que se gastou nos estádios que foram construídos para só sediarem uma ou duas partidas da Copa das Confederações da FIFA? Já soube que o de Brasília, para não virar um elefante branco, vai se tornar um shopping. Shopping, como? E o campo, as arquibancadas e os camarotes vips vão fazer, o quê? Santo Arquibaldo! Que desperdício!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s